Comprar um instrumento usado – 4 dicas para não ter problemas

Comprar um instrumento usado – 4 dicas para não ter problemas

Comprar um instrumento usado é a solução para muitas pessoas que sonham com qualidade, mas não têm condição financeira para investir. Guitarras (e outros instrumentos) de ponta ficam muito caras para comprar no país por causa do famoso “custo Brasil”.

Mas como fazer para não tomar sustos na hora de comprar um instrumento usado? Em que você deve prestar atenção na hora de fazer uma transação desse tipo? Nesse artigo, vou falar sobre boas práticas que você deve executar quando for adquirir um instrumento usado.

Veja sobre o que o artigo vai falar:

  • Compre Pessoalmente
  • Toque o instrumento
  • Leve em um luthier para avaliação
  • Peça uma nota

Compre pessoalmente

A internet, sem dúvidas, chegou para ajudar a diminuir as distâncias. Mas quando falamos em comprar um instrumento usado, deixar de vê-lo pessoalmente pode ser um empecilho. É preciso ter muita confiança no vendedor para adquirir uma guitarra usada sem nunca ter visto e tocado nela.

Com essa dica, não quero dizer que não se deve comprar instrumentos pela internet, mas que você deve procurar maneiras diminuir os riscos ao fazê-lo. Dê preferência para instrumentos que estejam em sua região e que, portanto, seja possível ir até ele antes de efetuar a compra.

Se não for possível e a sonhada guitarra estiver há muitos quilômetros de distância, converse com o vendedor e veja a possibilidade de um prazo para devolução do produto. Não é comum, mas pode fazer a diferença entre realizar um sonho e ganhar um problemão.

Toque o Instrumento

Como eu falei no tópico acima, testar o instrumento que você vai comprar é essencial. Na verdade, isso não vale só para os usados, mas também para os novos. No caso dos usados, essa prática é ainda mais importante.

Tocar no instrumento que você vai comprar vai fazer você perceber possíveis defeitos. Alguns são mais fáceis de perceber, como um problema na parte elétrica. Mas tome cuidado, porque existem defeitos que podem ser difíceis de identificar na hora de comprar um instrumento usado.

O que é mais comum é encontrar uma guitarra com braço empenado. Claro que se o defeito estiver em um grau muito elevado você vai perceber, mas se não for o caso pode acabar passando despercebido.

Está gostando das dicas?

Deixe seu e-mail abaixo para te enviarmos as próximas!

Leve em um luthier para avaliação

A última frase da dica anterior é a deixa para o próximo conselho. Nem sempre é fácil identificar um defeito na hora de comprar um instrumento usado. Por isso, levar em um profissional pode te evitar muitos problemas.

O mais comum deles, e também um dos piores, é o braço da guitarra vir empenado. Ele pode ter algum nível de desnivelamento, mas essa curvatura pode ser tão pequena que você não consiga detectar. Isso com certeza vai te dar problemas futuros.

Mas conferir se o instrumento está empenado é só um dos pontos que o luthier vai olhar para você. Ele também vai checar outras parte importantes, como:

  • Toda a parte elétrica
  • Os trastes
  • As tarraxas
  • A ponte

Aqui vale ressaltar uma coisa: É bom que tanto comprador quanto vendedor estejam presentes durante a avaliação do luthier. Se possível, escolha o profissional junto com a pessoa que está te vendendo o instrumento. Isso evita ruídos de comunicação e aumenta a confiabilidade da transação.

Peça uma nota

Infelizmente, nós vivemos em um país onde o índice de roubo de instrumentos musicais é alto. É claro que esse não é só um problema do Brasil, mas como a gente vive aqui devemos nos preocupar.

Por isso, nunca é demais pedir uma nota para o vendedor na hora de comprar um instrumento usado. Existem meios legais, e muito fáceis por sinal, dele emitir essa nota, o que vai te proteger.

Lembre-se: se você comprar uma guitarra que foi roubada, mesmo sem saber, vai estar correndo um sério risco de perder o instrumento e se colocar em sérios problemas.

 

Jornalista apaixonado por música, acredita que a arte tem o poder de transformar a sociedade de forma positiva. Faz parte da equipe do Music Clan e da revista Guitarload.