Como Escolher Sua Pedaleira Para Guitarra

Como Escolher Sua Pedaleira Para Guitarra

Depois que você já passou algum tempo tocando e estudando com a guitarra ligada direto no amplificador, começam a surgir alguns desejos e necessidades. Afinal, colocar e tirar a distorção apertando o botãozinho no painel do amplificador não é nada prático! E quando só está faltando aquele efeito massa para o solo ficar igual ao da música?

Então, você começa a procurar por pedaleiras no Google e vê que nas descrições todas elas dizem ter “sonoridade incrível”, “efeitos profissionais”, “tecnologia super avançada” e por aí vai…

E agora? Como não errar na hora de escolher sua pedaleira multiefeitos? É o que você vai ver nesse artigo.

Por que uma pedaleira multiefeitos?

A discussão entre comprar uma pedaleira e montar um set de pedais é uma das maiores polêmicas no mundo guitarrístico. Há defensores ferrenhos de ambos os lados, tal como na discussão “biscoito vs bolacha”. Mas a intenção deste artigo não é entrar nesse assunto.

As principais vantagens de se ter uma pedaleira multiefeitos são:

  • Praticidade – Muitos efeitos, simulações de amplificadores e afinador reunidos em um equipamento só, que utiliza uma fonte e dois cabos apenas (input e output);
  • Custo-benefício – com todas as features de uma pedaleira, você vai perceber que o investimento é relativamente baixo, se comparado a montar um bom set de pedais.
  • Trabalha com patches – você pode ligar e desligar diversos efeitos simultaneamente com apenas uma pisada.
  • Tecnologia – Algumas pedaleiras podem servir de interface de áudio para gravação via USB, além de muitas terem opções de edição e configuração pelo computador.

Depois que você decide comprar, você tem a difícil missão de escolher o modelo. Então, vamos a alguns pontos importantes.


Pontos Importantes a se Observar na Hora de Escolher uma Pedaleira para Guitarra

Cuidado Com Os Números Nas Especificações

como escolher uma pedaleira para guitarra

Por se tratar de tecnologia, as especificações numéricas acabam chamando nossa atenção. Números de efeitos, de simulações, níveis de entrada, de saída, do aux in, taxa de amostragem, impedâncias, bits, frequência de sampling, etc…

São muitos números a serem analisados, mas a importância de cada um deles será determinada pelo seu objetivo. Se sua intenção for gravar profissionalmente, por exemplo, alguns deles farão diferença sim, mas caso contrário, você não precisa se preocupar com quase nenhum deles, nem mesmo com o número de efeitos.

“Como assim não preciso me preocupar com o número de efeitos?”

Se você estiver perto dos trinta anos, deve se lembrar dos famosos “mini games”, que ofereciam 9999 jogos em 1 (uau!). Agora eu pergunto: Esse tanto de jogos (muito semelhantes entre eles) fazia tanta diferença para você?

Com pedaleira é mais ou menos a mesma coisa. Além de todos os efeitos básicos, muitas pedaleiras trazem efeitos que você provavelmente não vai usar nunca. Efeitos que simulam, por exemplo, “o som de um extraterrestre falando as vogais embaixo da água”…

Brincadeiras à parte, o que realmente importa no quesito “efeitos e simulações” é focar na qualidade e não na quantidade. Hoje em dia, dificilmente uma pedaleira vai te deixar na mão por falta de efeitos. Então, é bem importante pesquisar se a fabricante tem tradição no quesito qualidade.

I/Os (Entradas e Saídas)

como escolher uma pedaleira para guitarra

Aqui está uma parte que costuma ter bastante diferença entre as pedaleiras mais simples e as tops de linha. Veja um exemplo:

como escolher pedaleira para guitarra backs

Na figura acima, a pedaleira número 1 possui:

  • Input (para conectar a guitarra);
  • Output (para conectar amplificador/fones);
  • Entrada auxiliar (para conectar MP3…);
  • USB para uma ou outra funcionalidade, como acessar banco de patches e efeitos.

Já a número 2, além do básico, possui também:

  • Output estéreo;
  • Output dedicado a fone de ouvido;
  • FX Loop (send/return);
  • MIDI I/O;
  • Função Amp Control;
  • USB que faz com que a pedaleira funcione como interface de áudio para gravação (para mim, isso pesa bastante na hora de escolher uma pedaleira).

A necessidade de certos tipos de entradas e saídas, vai depender do seu objetivo e do seu conhecimento para usá-las. Por exemplo, se você tem intenção de gravar direto no computador, sem microfone, e não possui uma interface de áudio separada, procure por pedaleiras que oferecem o recurso de gravação via USB.

Resistência do Material

como escolher pedaleira para guitarra

Um pouco que acaba sendo importante para muita gente é o material da carcaça.

As pedaleiras feitas de metal são bem mais resistentes e passam a sensação de maior solidez, qualidade e durabilidade. O porém, é que geralmente são as mais caras.

Fato é que as de metal são de maior qualidade, mas se você vai deixar a pedaleira sempre em casa, talvez você possa economizar um pouco comprando uma menos resistente se a grana estiver curta. Mas se você vai ficar para cima e para baixo com ela, o ideal é investir em um material de maior qualidade.

Alimentação da Pedaleira

como escolher pedaleira para guitarra

Verifique nas especificações o tipo de alimentação que a pedaleira suporta (se é por fonte, pilha ou qualquer um dos dois).

Para mim, o ideal é a alimentação por fonte por não ter que ficar comprando pilhas ou baterias de tempos em tempos, mas se a pedaleira suportar pilhas, é bom ter um punhado delas de reserva na sua bag/case para alguma situação de emergência.


CONCLUSÃO

Tudo é uma questão de equilibrar as necessidades e o custo. Decida quais são os pontos que são mais importantes para você.

Se você toca só para passar o tempo e se divertir com os amigos aos finais de semana, será que vale à pena comprar aquela pedaleira de última tecnologia com todas as entradas e saídas e que custa R$3.500,00?

Se você toca na balada toda semana com banda, será que compensa economizar e comprar aquela pedaleira com carcaça de plástico? Pode ser que não dure muito…

Antes de decidir pela compra, baixe o manual da pedaleira no site da fabricante para analisar e veja opiniões e reviews no YouTube sobre os diferentes modelos. Tem muito vídeo interessante por aí!

Ainda está precisando de uma ajudinha? Escreva aqui embaixo nos comentários!

É guitarrista, professor de guitarra e administrador de empresas por formação. Curte postar vídeos no Instagram, ouvir blues, assistir filmes nas horas vagas e também está no Facebook . Faz parte do time do Music Clan e da Revista Guitarload.