5 Dicas de Como Montar Um Pedalboard

5 Dicas de Como Montar Um Pedalboard

Nós estamos na melhor época que já existiu para os aficcionados por pedais. As escolhas são inúmeras: vintage, handmade, digital, analógico, etc. E hoje conseguimos montar um bom pedalboard sem gastar quantias estratosféricas.

Como tudo na vida, quantidade não quer dizer qualidade. Na hora de montar um pedalboard é muito importante saber navegar pelas inúmeras alternativas e separar o joio do trigo.

Aqui vão algumas dicas para você montar um belo pedalboard:

 

1 – Escolha um board ou case que se adeque às suas necessidades.

Existem diversas opções no mercado para se transportar seus pedais. Além da proteção, um bom board e case te ajudarão a manter os pedais na ordem certa, já montados, o que irá te economizar um bom tempo na hora de arrumar o seu setup para tocar.

O primeiro a se considerar é pensar no número de pedais que você irá colocar no board. Esse ponto irá definir o tamanho inicial. Aqui vale considerar não só a quantidade de pedais, mas já começar a pensar na disposição deles e na dimensão de certas latinhas. Um wah wah, por exemplo, é um pedal grande que exige um pedalboard bem largo para que fique bem acomodado.

Se você ainda não tem os pedais em mente, veja aqui os 5 pedais de guitarra mais famosos de todos os tempos.

A necessidade de transporte do pedalboard é um ponto que poderá limitar o tamanho do seu board – e consequentemente a quantidade de pedais. Caso você tenha ensaios e gigs frequentes, ou precisa se transportar com transporte público, vale a pena pensar em um pedalboard mais compacto, com um case confortável.

A acessibilidade dos pedais é outro fator importante. Na brincadeira de “tetris” que é arrumar um pedalboard, as vezes alguns pedais ficam com o acesso muito difícil. Algumas marcas possuem “degraus” para alguns pedais, de forma a deixá-los mais acessíveis.

 

2 – Tenha bons cabos

Muitos guitarristas ou baixistas negligenciam esse passo, mas ele é de EXTREMA importância, por uma série de motivos. Primeiro, os pedais são responsáveis por carregar o sinal do seu instrumento. Ter cabos ruins entre os efeitos significa ter um timbre ruim. Ponto.

Todo equipamento que estiver entre sua guitarra e o seu amplificador será responsável por roubar um pouco do sinal. O que acontece é que a capacitância desses equipamentos vai afetando o sinal, interferindo principalmente nas frequências mais altas. Isso significa que um pedalboard com cabos ruins pode arrancar todo o brilho da sua guitarra.

Cabos bons roubarão menos o seu sinal. Mais do que isso, eles serão confiáveis. Caso você esteja em uma gig e algum desses cabinhos ruins falharem, será quase impossível encontrar o responsável. Nessa situação, o pedalboard inteiro morre para aquela gig. Você não quer passar por esse pesadelo.

 

3 – Use um Buffer caso tenha muitos pedais

Para evitar as perdas de sinal que comentei ali em cima, é uma boa idéia usar um buffer no começo da cadeia. Basicamente, o buffer irá converter o sinal de alta impedância que vem da sua guitarra para um sinal de baixa impedância, que consegue caminhar com melhor eficiência pelas ameaças que encontrará pelo caminho – pedais e cabos com alta capacitância que irão querer derrubar o seu sinal.

O objetivo é que o seu som fique mais parecido com o caso em que você liga a guitarra direto no amplificador.

No entanto, nem tudo são flores. Existem pedais que não se dão muito bem com buffers, como é o caso do Fuzz Face. Nesses casos, vale uma pesquisa para entender as características dos seus pedais e se esse for o caso, você poderá colocar esses efeitos antes do buffer.

 

4 – A ordem dos fatores altera o produto

A ordem dos seus pedais fará muita diferença. Por mais que existam milhares de artigos e videos na internet falando sobre a ordem correta dos pedais de efeito, o importante a se lembrar aqui é que a regra é: não há regras. Você deve testar, testar e testar e encontrar o que funciona para você.

O mais comum é Afinadores > Fuzz / Drives / Boosters > Modulações > Delays > Reverbs. Mas Existem pessoas que preferem alterar, colocar o wah wah antes do Fuzz, por exemplo. Não existem regras. Invista uma grana em algumas horas num estúdio e teste todas as combinações possíveis, só você e o seu setup. Será um dos melhores investimentos que poderá fazer em seu pedalboard.

 

5 – Tenha uma boa fonte

Seus pedais se alimentam de energia. Assim como pessoas, se você alimenta mal os seus pedais, o desempenho deles também não será dos melhores.

A não ser que você use baterias em todos os seus pedais, você precisará de uma boa fonte. Certifique-se de verificar as necessidades energéticas de todos os seus pedais: alguns precisam de 9v, outros de 12v, uns consomem 3mA, outros 500mA. Há também a possibilidade da alimentação ser feita por um conector positivo, outros necessitam um negativo.

Assim como dissemos sobre os cabos, não economize aqui. Não vale a pena: uma fonte ruim pode te deixar na mão ou até danificar os seus pedais. Em especial, procure as fontes isoladas, que não possuem aterramento compartilhado.

 

Com essas informações em mente, você deve estar ansioso para começar logo a montagem do pedalboard. Confira aqui, algumas dicas para você comprar instrumentos musicais online.

Felipe Pierro é Engenheiro pela USP e guitarrista da Infamous Vagabonds, banda underground paulistana. Em 2016, juntou suas duas maiores paixões, tecnologia e música, e fundou o Music Jungle, o lugar ideal para você comprar instrumentos musicais online.